De Qualquer Maneira

De qualquer maneira
Meu amor eu canto
De qualquer maneira
Meu encanto, eu vou sambar

Com os olhos rasos d’água
Com o sorriso na boca
Com o peito cheio de mágoa
Ou sendo a mágoa tão pouca
Quem é bamba não bambeia
Falo por convicção
Enquanto houver samba na veia
Empunharei meu violão

Sentado em trono de rei
Ou aqui nesta cadeira
Eu já disse, já falei
Seja qual for a maneira
Quem é bamba não bambeia
Falo por convicção
Enquanto houver samba na veia
Empunharei meu violão

Artigo anteriorDia da Graça
Próximo artigoDocumentário Partido Alto
Fabio Silvahttp://#
Paulistano, Corintiano, casado, pai de dois filhos e um apaixonado pela cultura do Samba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Discover

Publicidade

Últimas Publicaçoes

Primeiro carnaval oficial de São Paulo foi em 1968

Avenida São João foi o palco do desfile; vencedora foi a escola Nenê de Vila Matilde O primeiro desfile oficial de escolas de samba de...

Eliana Pittman

Eliana Leite da Silva, mais conhecida como Eliana Pittman (Rio de Janeiro, 14 de agosto de 1945), é uma cantora e atriz brasileira. Biografia Eliana Pittman...

O mundo encantado de Monteiro Lobato

O mundo encantado de Monteiro Lobato foi o enredo apresentado pela Estação Primeira de Mangueira no desfile das escolas de samba do Rio de...

Fernando Penteado

Fernando Penteado é realmente um sambista nato, neto de Frederico Penteado (Fredericão) e filho de João Penteado, ambos fundadores do Cordão Carnavalesco Vai-Vai, podendo...

Roberto Silva

Roberto Napoleão Silva (Rio de Janeiro, 9 de abril de 1920 - Rio de Janeiro, 9 de setembro de 2012), mais conhecido como "O...