Zeca Pagodinho

Zeca Pagodinho, nome artístico de Jessé Gomes da Silva Filho, (Rio de Janeiro, 4 de fevereiro de 1959) é um cantor e compositor brasileiro.

Gravou mais de 20 discos e é considerado um grande nome do gênero samba. O artista, que começou sua carreira nas rodas de samba dos bairros de Irajá e Del Castilho, subúrbio do Rio de Janeiro, tornou-se tão imensamente popular que seus shows chegam a ser contratados por cachês generosos, sendo realizados nas mais badaladas casas de espetáculo do país. Sempre fiel a suas características de irreverência e jocosidade, Zeca recebe também reconhecimento da crítica e de artístas e compositores consagrados. Nei Lopes afirma que o sambista “é uma das poucas unanimidades nacionais, elevado ao patamar do mega-estrelato pop pelas gravadoras”.

Biografia

Filho de Irinéia e Jessé, Zeca nasceu em Irajá onde desde pequeno passou a frequentar rodas de samba por influência de sua família, foi office-boy e apontador de jogo do bicho.[2]Morou em vários bairros do Rio mas sempre demonstrou enorme apreço por Xerém (distrito de Duque de Caxias), na qual possui um sítio e uma escola de música para crianças carentes da região. Sua primeira gravação foi em 1983, com o samba “Camarão que dorme a onda leva”, de sua autoria, Arlindo Cruz e Beto Sem Braço, a partir do convite de sua madrinha Beth Carvalho.

Em 1986 foi a estréia do seu primeiro álbum tendo participações especiais dos cantores Deni e Ana Clara. O sucesso desde disco foi tanto que a música “Judia de Mim” foi incluída na trilha sonora da novela Hipertensão.

Em 2003, no auge de sua carreira, foi o segundo artista de Samba a gravar um especial de TV, CD e DVD pela MTV Brasil (Antes disso o grupo Art Popular havia gravado um especial em 2000)

(tradicional reduto do rock e da música pop).

O Acústico MTV, gravado no Rio, foi um de seus discos mais vendidos, rendendo inclusive uma segunda edição em 2006 (a primeira da história da MTV Brasil). O segundo acústico, batizado de Acústico MTV Zeca Pagodinho 2 – Gafieira, homenageou o samba de gafieira. Em 2007, o cantor criou o selo ZecaPagodiscos, em parceria com o produtor musical Max Pierre, ex-diretor artístico da Universal Music no Brasil. O primeiro trabalho da parceria (lançado em conjunto com o selo Música Fabril, novo selo de Max, com distribuição da gravadora EMI) foi o CD e DVD Cidade do Samba, gravado na Cidade do Samba, reunindo vários artistas brasileiros de vários estilos musicais, como Martinho da Vila, Jair Rodrigues, Cláudia Leitte, Ivete Sangalo Nando Reis, Erasmo Carlos, Gilberto Gil, entre outros. Atualmente, Zeca reside na Barra da Tijuca com a mulher, Mônica Silva, e seus quatro filhos: Eduardo, Louis, Elisa e Maria Eduarda.

Em 2016, foi um dos convidados especiais na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos “Rio 2016”.[3] [4]

Discografia

Ver artigo principal: Discografia de Zeca Pagodinho
  • Camarão Que Dorme a Onda Leva, participação em disco de Beth Carvalho -(1983)(RCA)
  • Zeca Pagodinho – (1986) (RGE)
  • Patota de Cosme – (1987) (RGE)
  • Jeito
  • Moleque– (1988) (RGE)
  • Boêmio Feliz – (1989) (BMG)
  • Mania da Gente – (1990) (BMG)
  • Pixote – (1991) (BMG)
  • Um dos Poetas do Samba – (1992) (BMG)
  • Alô, Mundo! – (1993) (BMG)
  • Samba pras Moças – (1995) (PolyGram)
  • Deixa Clarear – (1996) (PolyGram)
  • Hoje é Dia de Festa – (1997) (PolyGram)
  • Zeca Pagodinho – (1998) (PolyGram)
  • Ao Vivo – (1999) (Universal Music)
  • Água da Minha Sede – (2000) (Universal Music)
  • Deixa a Vida Me Levar – (2002) (Universal Music)
  • Acústico MTV – Zeca Pagodinho – (2003) (Universal Music)
  • Perfil (2004) (Som Livre)
  • À Vera – (2005) (Universal Music)
  • Acústico MTV – Zeca Pagodinho 2: Gafieira (2006)
  • Raridades – (2007) (Som Livre)
  • Uma Prova de Amor – (2008) (Universal Music)
  • Especial MTV – Uma Prova de Amor Ao Vivo – (2009) (Universal Music)
  • Vida da Minha Vida – (2010) (Universal Music)
  • Ao Vivo com os Amigos – (2011) (Universal Music)
  • O Quintal do Pagodinho – (2012) (Universal Music)
  • Multishow Ao Vivo: 30 Anos – Vida Que Segue[5] – (2013) (Universal Music)
  • Sambabook Zeca Pagodinho – (2014) (Universal Music)
  • Ser Humano – (2015) (Universal Music)
  • O Quintal do Pagodinho 3 – (2016) (Universal Music)
  • Mais Feliz – (2019) (Universal Music)

Prêmios e indicações

Grammy Latino

Ano Categoria Indicação Resultado
2000 Melhor Álbum de Samba/Pagode Ao Vivo Venceu
2001 Melhor Álbum de Samba/Pagode Água da Minha Sede Venceu
2002 Melhor Álbum de Samba/Pagode Deixa a Vida Me Levar Venceu
Melhor Canção Brasileira Deixa a Vida Me Levar Indicado
2004 Melhor Álbum de Samba/Pagode Acústico MTV Indicado
2005 Melhor Álbum de Samba/Pagode À Vera Indicado
2007 Melhor Álbum de Samba/Pagode Acústico MTV 2 – Gafieira Venceu
2009 Melhor Álbum de Samba/Pagode Uma Prova de Amor Indicado
2010 Melhor Álbum de Samba/Pagode Especial MTV – Uma Prova de Amor Ao Vivo Indicado
2011 Melhor Álbum de Samba/Pagode Vida da Minha Vida Indicado
2013 Melhor Álbum de Samba/Pagode Multishow Ao Vivo: 30 Anos – Vida Que Segue Indicado
2015 Melhor Álbum de Samba/Pagode Ser Humano Indicado

MTV Video Music Brasil

Ano Categoria Indicação Resultado
1999 Videoclipe de Pagode Vai Vadiar Venceu
2002 Videoclipe de MPB Deixa a Vida Me Levar Venceu
2003 Videoclipe de MPB Caviar Indicado
2008 Show do Ano Zeca Pagodinho Indicado
2009 Melhor Banda/Artista de Samba Zeca Pagodinho Venceu

Prêmio da Música Brasileira

Ano Categoria Indicação Resultado
2009 Melhor Cantor de Samba[6] Zeca Pagodinho Venceu
Melhor Álbum de Samba[6] Uma Prova de Amor Venceu
Melhor Canção[6] Uma Prova de Amor Venceu
Então Leva Indicado
2016 Melhor Cantor de Samba Zeca Pagodinho Indicado
2017 Melhor Cantor de Samba Zeca Pagodinho Venceu
Melhor Álbum de Samba O Quintal do Pagodinho: Ao vivo – Vol. 3 Indicado

Prêmio Multishow

Ano Categoria Indicação Resultado
2001 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2002 Melhor Show Zeca Pagodinho Indicado
2003 Melhor CD Deixa a Vida Me Levar Indicado
2004 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
Melhor DVD Indicado
2005 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2006 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2007 Melhor DVD Zeca Pagodinho – Ao Vivo Indicado
2009 Melhor Show Zeca Pagodinho Indicado

Prêmio Contigo! MPB FM

Ano Categoria Indicação Resultado
2012 Melhor DVD O Quintal do Pagodinho Venceu
2013 Melhor Álbum de Samba Multishow Ao Vivo: 30 Anos – Vida Que Segue Venceu
Melhor DVD Multishow Ao Vivo: 30 Anos – Vida Que Segue Indicado
2014 Projetos Especiais Sambabook Zeca Pagodinho Venceu

Troféu Imprensa

Ano Categoria Indicação Resultado
2002 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Venceu
2003 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Venceu
2004 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Venceu
2006 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2007 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2008 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado

Melhores do Ano

Ano Categoria Indicação Resultado
1996 Sucesso do Ano Zeca Pagodinho Venceu
2002 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2003 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2006 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2007 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado
2008 Melhor Cantor Zeca Pagodinho Indicado

 

Zeca Pagodinho, batizado de Jessé Gomes da Silva Filho, nasceu no Irajá em 4 de fevereiro de 1959 e foi criado em Del Castilho.

Filho de Seu Jessé e Dona Irinéa, quarto de uma família de cinco crianças, desde cedo já trocava as aulas por uma boa roda-de-samba. Por isso, depois da quarta-série, não quis mais saber de escola.

Nos anos 70, o partido-alto começa a se tornar uma febre nos subúrbios do Rio. E entre um samba e outro, Zeca se virava como podia. Feirante, camelô, office-boy, contínuo e anotador de jogo do bicho. Fez de tudo. Desta época, surgiram amizades valorosas como Sérvula, Dorina, Paulão Sete Cordas, Monarco, Mauro Diniz, Almir Guineto, Bira Presidente, Beto Sem Braço e Arlindo Cruz. Freqüentava também as rodas do Cacique de Ramos.

No inicio dos anos 80, Pagodinho começa a se estabelecer como um versador de respeito. Em parceria com o flautista e partideiro Cláudio Camunguelo, teve sua primeira música gravada: “Amargura”. A faixa entrou no repertório do segundo disco do grupo Fundo de Quintal, fundado em 1977 e originário do Cacique de Ramos. A aproximação com o grupo acabou levando Zeca Pagodinho para perto de Beth Carvalho. Foi ela quem gravou seu primeiro sucesso: “Camarão que Dorme a Onda Leva”, que ganhou até clipe no Fantástico. A madrinha ainda gravou “Jiló com Pimenta” (Arlindo Cruz e Zeca). Depois foi a vez de Alcione registrar “Mutirão do Amor” (Zeca, Sombrinha e Jorge Aragão) no LP “Almas e Corações”, de 1983.

O pagode, então, já se preparava para estourar no Brasil. A RGE lançou a coletânea “Raça Brasileira” (1985). Entre as canções de Zeca estavam “Mal de Amor”, “Garrafeiro”, “A Vaca” e “Bagaço da Laranja”. Foram 100 mil cópias vendidas.

No ano seguinte, o sambista estreava em disco solo, “Zeca Pagodinho”. Emplacou os sucessos “Coração em Desalinho”, “Quando Eu Contar (IáIá)”, “Judia de Mim” e “Brincadeira tem Hora”, atingindo a marca de um milhão de cópias vendidas.

Pela RGE ainda gravou “Patota do Cosme” (1987). Em seguida, se mudou para a RCA (atual Sony-BMG), ao lado de Beth Carvalho, Paulinho da Viola e Martinho da Vila.

Na casa nova, ele gravou “Jeito Moleque” (1988), “Boêmio Feliz” (1989), “Mania da Gente” (1990), “Pixote” (1991), “Um dos Poetas do Samba” (1992) e “Alô, Mundo!” (1993).

Em 1995, foi para a Universal, onde gravou “Samba Pras Moças” (1995) que tem em seu repertório sambas como, “Vou Botar teu Nome na Macumba” (parceria com Dudu Nobre) e “Guiomar” (de Nei Lopes). O próximo disco “Deixa Clarear” (1996) traria alguns dos maiores sucessos da sua carreira como “Verdade”, “Conflito”, “Não Sou Mais Disso” e “Jiló com Pimenta”.

Ainda vieram “Hoje É Dia de Festa” (1997), “Zeca Pagodinho” (1998), “Zeca Pagodinho Ao Vivo” (1999), “Água da Minha Sede” (2000) e “Deixa a Vida Me Levar” (2002) que estabelece o artista como um dos grandes nomes da música brasileira.

A música título vira o tema da Copa e o disco ganha o prêmio de “Melhor Álbum de Samba” no Grammy de 2002.

Em 2003 lançou o “Acústico MTV Zeca Pagodinho” (CD e DVD). O disco foi um sucesso instantâneo. Em 2005 lançou “À Vera” e em 2006 repetiu a parceria com a MTV que, de forma inédita, resolveu repetir o projeto acústico com um mesmo artista, com “Acústico MTV 2: Gafieira – Zeca Pagodinho”.

Em 2008, lançou “Uma Prova de Amor”, cd com 16 faixas, sendo treze inéditas e três regravações. Sob produção musical de Rildo Hora, o disco conta com participação especial de João Donato em “Sambou, Sambou”, releitura de uma canção do próprio pianista, Jorge Ben Jor na emocionante “Ogum”, na qual ele recita a oração de São Jorge, e a Velha Guarda da Portela, parceira de longa data de Zeca, no pot-pourri que reúne os sambas “Falsa Jura”, “Pecadora” e “Manhã Brasileira”.

Em 2010, lança seu 22º cd, ‘Vida da Minha Vida”, dedicado a sua madrinha Beth Carvalho. Produzido por Rildo Hora, o cd traz 15 faixas, incluindo inéditas, regravações de clássicos de Gilson de Souza, Nelson Sargento, Monarco, Dona Ivone Lara e Fagner, além de inéditas de Nelson Rufino, Zé Roberto e uma parceria de Zeca com Arlindo Cruz.

Zeca re-editou o “O Quintal do Pagodinho”, gravado ao vivo em Xerém, no seu sítio.  No projeto, alguns de seus compositores favoritos gravaram seus próprios sucessos, como Sombrinha, Zé Roberto,Toninho Geraes, Almir Guineto, Serginho Meriti, Dudu Nobre, Jorge Aragão, Monarco, Mauro Diniz e Juliana Diniz, entre outros.

Começam as celebrações de seus 30 anos de carreira. Lança “Zeca Pagodinho Multishow Ao Vivo: 30 anos, Vida que Segue”, onde interpreta sambas de sua história afetiva.

Músicas  como  “Trem das Onze” (Adoniran Barbosa), “Diz Que Fui Por Aí” (Zé Keti e Hortênsio Rocha), “O Sol Nascerá” (Cartola e Elton Medeiros), “Mascarada” (Zé Keti e Elton Medeiros), “Aquarela Brasileira” (Silas de Oliveira)  em belos arranjos e participações especiais de  Zé  Menezes, Paulinho da Viola, Marisa Monte, Yamandú Costa, Hamilton de Holanda, Mauro Diniz, Rildo Hora, entre outros.

Em 2014, é lançado o ” Sambabook Zeca Pagodinho”, projeto multimídia, onde artistas como Alcione, Arlindo Cruz, Diogo Nogueira, Gilberto Gil, Jorge Aragão, Lenine, Maria Rita, Amir Guineto, Beth Carvalho, Djavan, Marcelo D2, Jorge Ben Jor, Mariene de Castro, Monarco e a Velha Guarda da Portela, entre outros interpretam músicas compostas pelo sambista.

Além de CD e DVD, faz parte do Sambabook , um livro com a discografia do cantor, além de um caderno de partituras.

Depois de cinco anos sem lançar um disco de músicas inéditas, em abril de 2015  Zeca lança  seu 23º álbum. Incluindo canções de Monarco, Amir Guineto, Nelson Rufino, entre outros compositores, o projeto reúne 14 faixas.

A terceira edição do projeto é lançada em CD e DVD pela Universal Music Brasil. No quintal de seu sítio em Xerém, Zeca celebra, mais uma vez, o melhor do samba reunindo seu time de compositores, além de receber convidados como Maria Bethânia, Paulinho da Viola, João Bosco, entre outros grandes talentos da música brasileira.

Nos extras, Zeca interpreta uma música inédita de Moacyr Luz e Toninho Geraes, conta com a participação dos alunos do Instituto Zeca Pagodinho, e apresenta, em primeira mão, a Tendinha Buraco Quente, um novo anexo do seu Quintal.

Em 2017, Zeca Pagodinho foi homenageado no musical “Zeca Pagodinho – Uma história de amor ao samba”. Com direção geral de Gustavo Gasparani, o espetáculo rodou as principais capitais do país, retratando vida e obra do cantor.

Neste mesmo ano, Zeca realizou pela primeira vez em sua carreira uma roda de samba aberta ao público: o Samba do Zeca levou ao Jockey Club do Rio de Janeiro um pouco do clima musical do “Quintal” do artista, em Xerém.

O evento promoveu encontros entre bambas de diferentes gerações, como Monarco, Xande de Pilares, Marcelo D2, Maria Rita, Gilberto Gil, Mariana Aydar, Diogo Nogueira, entre outros grandes nomes do samba e da MPB.

Depois de cantarem juntos no projeto “O Quintal do Pagodinho”, em 2016, Maria Bethânia e Zeca Pagodinho dividem o palco, em 2018, pela primeira vez.

Os artistas saem em uma turnê nacional, que passou por seis capitais brasileiras: Recife, Salvador, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo e Brasília com todas as praças com shows lotados.

O roteiro trazia hits da carreira dos dois artistas, além de canções inéditas de Caetano Veloso e de Leandro Fregonesi, feitas especialmente para esse encontro, assim como sambas clássicos da Mangueira e Portela, em homenagem às escolas do coração dos dois. O show foi gravado e lançado como CD e DVD Ao Vivo pela gravadora Biscoito Fino.

Ainda em 2018, Zeca embarca para mais uma turnê internacional, cantando sucessos dos seus 35 anos de carreira. Com estreia em Paris, o show passou por Berlim, Lisboa, Genebra, Zurique, Porto e Londres.

O ano começa em grande estilo. Zeca Pagodinho completa 60 anos em fevereiro e dá uma grande festa na Cidade do Samba para mais de mil convidados.

Em abril, o sambista se apresenta pela primeira vez em Cabo Verde, sendo que uma das apresentações é feita em praça pública, consolidando sua música e o samba brasileiro entre os cabo-verdianos.

Em setembro de 2019, Zeca Pagodinho lança seu 24º álbum de carreira, “Mais Feliz” com 14 faixas. Dentre as músicas que fazem parte deste trabalho está a composição “Enquanto Deus me Proteja”, parceria inédita com Moacyr Luz, “O Sol Nascerá “, de Cartola e Elton Medeiros, abertura da novela global “Bom Sucesso”, composições de Monarco, Nelson Rufino, entre outras.






Artigo anteriorJorge Aragão
Próximo artigoArlindo Cruz
Fabio Silvahttp://#
Paulistano, Corintiano, casado, pai de dois filhos e um apaixonado pela cultura do Samba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Discover

Publicidade

Últimas Publicaçoes

Henrique Cazes

Henrique Cazes (Henrique Leal Cazes, Rio de Janeiro, 02/02/1959). Nascido em uma família de músicos amadores do subúrbio carioca do Méier, começou a tocar violão com...

Mauro Diniz

Mauro Diniz (Rio de Janeiro, 1952) é um arranjador, compositor, músico, cantor e compositor brasileiro, cujo estilo incorpora o samba e pagode. Filho do compositor...

Jayme Vignoli

Cavaquinista, arranjador, compositor e produtor musical nascido no Rio de Janeiro em 13 de março de 1967, Jayme Vignoli começou a tocar cavaquinho aos treze anos....

Wanderson Martins

Wanderson Jorge de Paula Martins (Rio de Janeiro, 12 de fevereiro de 1962), mais conhecido como Wanderson Martins, é um instrumentista, produtor musical e...

Dino 7 Cordas

Horondino José da Silva, conhecido como Dino 7 Cordas, (Rio de Janeiro, 5 de maio de 1918 — Rio de Janeiro, 27 de maio...